Blog

Um casamento de trinta e cinco anos

Consulente - Eu queria saber porque ele sumiu, desapareceu. Não entendi até hoje.

Cartomante -Tá bem, vamos lá. (Embaralha as cartas). Quantos anos vocês viveram juntos?
Consulente - Trinta e cinco.
Cartomante - Quanto tempo faz que ele saiu de casa?
Consulente - Faz dois anos e meio.
Cartomante - Nunca mais se falaram depois disso?
Consulente - Não, não consigo falar com ele.
Cartomante - Dessas duas filhas tuas, você já tentou saber com elas, porque ele não quer     falar com você?
Consulente - Ele mora na mesma casa que essa mais nova. 
Cartomante - (Atônita) Ele mora com a mais nova? 
Consulente - Como se fosse, no mesmo prédio. Come, janta na casa dela.
Cartomante - E sua filha não te diz porque ele não quer falar com você e nem te ajuda a falar com ele?
Consulente - Não.
Cartomante - E você não tenta?
Consulente - Eu tento. Ela diz que eu sou ruim, que ela não me aguenta mais.
Cartomante - Mas nessa casa de vocês, que aparece aqui, nesse sítio, vocês não se encontram?
Consulente - Não, quando eu entro pela porta da frente, ele sai pela porta de trás, entra no carro e foge para não falar comigo.
Cartomante - E suas filhas não te ajudam?
Consulente - Não.
Cartomante - Mas ele ajuda essa mais moça financeiramente.
Consulente - Ajuda.
Cartomante - Hum… (Enrola as cartas no pano vermelho, guardando). E a outra?
Consulente - Também não me diz nada. 
Cartomante - Você tem uma renda própria, não depende dele, apareceu aqui. É aposentada?
Consulente - Estou para aposentar. 
Silêncio.
Consulente - Eu queria saber se ele tem outra.
Cartomante - Você suspeita disso?
Consulente - Não sei se tem, ninguém me diz nada. 
Uma vez eu achei uma carta, ele escondia essa carta. Um dia ele estava  lendo essa carta e chorando.
Cartomante - Uma carta de quem?
Consulente - Uma carta de uma mulher. Mas ele sempre me disse que não tinha outra, e ninguém me fala.
Silêncio.
Cartomante - (Ainda com as cartas guardadas). Mas então você sabe que ele tem outra? Porque quer que eu jogue?
Consulente - Ele tem?
Cartomante - Você disse!
Consulente - Eu não sei, ele diz que não.
Cartomante - Mas você viu a carta! 
Consulente - Sim.
Cartomante (Reabre as Cartas, tira uma) - Sim. Ele tem outra.
Consulente - É, né? Mas ninguém diz nada.
Silêncio.
Cartomante - Você namorou alguém depois disso? 
Consulente - Não!
Cartomante - Antes de se separar… Quanto tempo fazia que você não tinha alguém? 
Consulente - Na verdade não ficamos juntos desde que minha segunda filha nasceu.
Cartomante - Qual a idade dela?
Consulente - 25 anos.
Cartomante - Você está me dizendo que uma mulher bonita e atraente como você, com esses lindos olhos azuis, não faz sexo há vinte e cinco anos, mais dois anos e meio, desde que está separada? Vinte e sete anos e meio?.
Consulente - (Ruboresceu) É. Não me vejo assim. Atraente. Obrigada.
Cartomante - Tem outra pessoa no seu caminho.
Consulente - Não vejo ninguém.
Cartomante - Tem sim, um amor antigo.
Consulente - Será?
Cartomante - Com certeza (A Consulente Iluminou os dois grandes olhos azuis).
Cartomante - Tem sim. Para que você quer um homem com quem não faz sexo? Que não tem a consideração de te dizer porque saiu de casa?
Consulente - Minha filha diz que eu sou muito mandona, que quero controlar tudo.
Cartomante - Sua filha é muito interesseira, isso sim. Dá aqui no jogo.
Consulente - Eu queria que ele voltasse para casa.
Suspiro de cartomante.

Publicado pela primeira vez em 10 de agosto de 2017